Minas Gerais

De rolê por Inhotim e Brumadinho: banho energizante na Cachoeira Carrapatos

Brumadinho tem um município enorme, 2 vezes maior que o de Belo Horizonte e muito menos urbanizado (ainda bem!), o que permite que a região esconda verdadeiros tesouros a poucos minutos da cidade. Um deles é a Cachoeira Carrapatos, no distrito de Piedade do Paraopeba.

Depois de três dias intensos visitando Inhotim, com programação noturna e ainda a vivência nos quilombos Marinhos e Sapé, a nossa viagem a Brumadinho terminou com um tchibum na cachoeira bem merecido!

De rolê por Inhotim e Brumadinho: receita de pão de queijo mineiro

Quem já lê o blog há tempos conhece a minha receita de pão de queijo de família, passada pra mim pela minha mãe e avó. Acontece que o melhor pão de queijo mineiro mora na casa da sua avó mineira, as receitas variam demais, demais, de acordo com as preferências e experiências de família, mas ela certamente será uma receita muito mais gostosa do que as que são vendidas em restaurantes, cafés e outros estabelecimentos por aí. Por que? Porque a sua avó não vai economizar na quantidade e qualidade do queijo e dos ovos! Essa é a principal premissa para uma boa receita de pão de queijo 😉

Na viagem que fiz a Brumadinho, fui convidada pelo De Rolê Por Brumadinho a fazer um workshop de pão de queijo oferecido pela Telma Brandão na Casa da Horta! Ou seja: aprendi uma receita de família diferente da minha – e que delícia! Amo as duas, não quero alimentar disputas familiares, meu estômago e papilas gustativas gostam de ambas kkkkkkkkk

Confira essa receita e arrisque-se a tentar em casa!

De rolê por Inhotim e Brumadinho: vivência inesquecível nos quilombos Marinhos e Sapé

Quantos sabem que Brumadinho abriga quilombos, iniciados por pessoas que conseguiram fugir da escravidão da Fazenda dos Martins, antigamente Fazenda Boa Vista, uma das maiores de seu tempo na região? É o tipo de comunidade que a gente imagina que exista, mas que eu ainda precisava conhecer. É difícil encontrar relatos sobre esse período terrível da nossa biografia e gostaria de, por meio do blog, ajudar a espalhar a história de luta e ternura dessas pessoas, para que sejam conhecidas por mais e mais gente.

São 4 as comunidades quilombolas reconhecidas pela Fundação Palmares em Brumadinho: os quilombos Marinhos, Sapé, Ribeirão e Rodrigues. Tem ainda Lagoa, Casinhas e Massangano, em processo de reconhecimento oficial como quilombo. São pequenos povoados simpaticíssimos, que tive a oportunidade de conhecer graças ao convite da De Rolê Por Brumadinho por intermédio do Batuque Natividade, projeto de Reinaldo Santana Silva, o Rei Batuque, e sua família, que vivem em Marinhos.

Confira os vídeos e fotos dessa vivência inesquecível!

Piquenique na Casa Kubitschek, Belo Horizonte

A Casa Kubitschek, na Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte, foi projetada por Niemeyer e construída para Juscelino quando era prefeito. Hoje, é um museu e você pode fazer um piquenique nos jardins!

Eu já tinha ouvido falar que era possível fazer piquenique nos jardins da Casa, mas não conhecia ninguém que já tivesse feito e não sabia como funcionava. Então, quando minha família sugeriu que fizéssemos um piquenique no Dia das Mães, sugeri o lugar para descobrirmos o espaço e, olha, já virou um dos nossos favoritos para piqueniques pequenos! Aqui em casa a gente ama fazer esse tipo de programa 🙂

O Museu Casa Kubitschek foi montado na casa projetada por Oscar Niemeyer para Juscelino na época que foi prefeito – não é um edifício público, foi financiado pelas contas pessoais do Jussa – para ser uma casa de campo à beira da novíssima Lagoa da Pampulha. Poucos anos depois, a casa foi vendida pra outra família, que por sua vez vendeu o imóvel à prefeitura há alguns anos. O museu foi aberto em 2013 e os jardins estão disponíveis para piqueniques há menos de um ano.

Veja como foi o piquenique e como fazer o seu também!

Onde e o que comer no Mercado Central de BH

Este é o primeiro de muitos posts sobre Belo Horizonte, minha cidade natal – um absurdo não ter falado de BH no blog, eu sei! Mas vou tentando me redimir escrevendo sobre os lugares que moram no meu coração… por isso não poderia faltar o Mercado Central de BH.

Mais de 400 lojas que vendem de tudo um pouco enchem o Mercado Central (ou MercaCentrá no sotaque belorizontino que cort’aspalavr) de cheiros, sons e sabores deliciosos!

Nesse post, listei os meus lugares preferidos para comer uma coisinha (ou um pratão cheio) no Mercado. Broinha, empadinha, torresmo de barrinha, jiló com fígado acebolado, NHAM! Deu água na boca escrever esse post, já tô vendo que vou precisar voltar lá essa semana mesmo!

#BrasilProfundo – Santo Antônio do Amparo com sons, imagens e histórias :)

É com muita alegria que anuncio o primeiro vídeo do nosso novo canal do youtube!

Espero que gostem de conhecer as ruas de Santo Antônio do Amparo, a música alta que toca na igreja, os passarinhos e Vovó Ilda e Vovô Fernando, dois personagens muito queridos da cidade e da minha família (na foto acima <3). No post também conto um pouco sobre o programa de meditação que irei participar na Tailândia (espero fazer vários vídeos do Sudeste Asiático para encher o blog de imagens e sons da região!) Acesse https://www.youtube.com/user/Eusouatoa/ e siga o canal para ficar por dentro das atualizações!

A história de Santo Antônio do Amparo, MG

Contar a história de Santantônio é contar a história da minha família também.

Reuni relatos familiares e dados oficiais para contar como a cidade começou e quem sabe te estimular a explorar mais as pequenas cidades desse nosso Brasil Gigante!

A vida tranquila em Santo Antônio do Amparo, Minas Gerais

Depois de voltar do México, senti que precisava de um tempo com as minhas montanhas.

20 mil habitantes, você não deve ter ouvido falar. Da Fernão Dias (BR 381), você vê a igreja (foto acima) lá no alto do morro. A fundação da cidade começou ali, no ponto mais alto da região.

O interior de Minas são muitos

Sotaques, comidas, paisagens: Minas Gerais é tão diversa quanto um país europeu!

“Um cafezim” nunca é só café: bolo, biscoito, broa de fubá e pão de queijo fazem parte do ritual, não importa a classe social do anfitrião.

Vai ser inevitável: fique no interior de Minas tempo suficiente e você terá ouvido muitoas histórias às bordas de xícaras e xícaras de café para perder a conta. De preferência, com pão de queijo.

Rolar para cima