Mês: junho 2016

Não vá a Cancún! Evite essa cilada e conheça a verdadeira península de Yucatán

A península de Yucatán, no México, é um pedaço enigmático do planeta Terra. Ela é banhada pelo Caribe de um lado e pelo Golfo do México do outro. A leste, está a chamada Riviera Maia, com longas praias de areia branca e mar calmo, águas cristalinas bastante azuis, lar de vida marinha intensa. A oeste, no Golfo, as águas são menos belas, mas abaixo delas estão grandes bolsões de petróleo, que garantem riqueza à região para além da exploração do turismo.

Entre todas as possibilidades turísticas da região, infelizmente pouca gente vai além das praias paradisíacas e das piscinas naturais de água doce. E olhe lá. Em Cancún, principal destino turístico do México inteiro, a natureza foi depilada, maquiada, embalada e preparada para consumo rápido e indolor nos mega resorts all inclusive, parques aquáticos e excursões massificadas que “protegem” os visitantes das idiossincrasias desse pedaço interessantíssimo do planeta.

Não vá a Cancún. Yucatán é muito mais do que essa região plastificada de paisagens bonitas.

E por enquanto só estamos falando das belezas naturais. Leia mais motivos para ir a Yucatán no post.

E não vá a Cancún.

Depois não diga que eu não avisei.

Um café com vista para o centro de Belo Horizonte

Por se localizar no vale da Serra do Curral, o centrão de BH tem poucos mirantes de onde se pode ver a cidade de cima. O jeito é recorrer a um prédio que tenha vista. No começo do ano, graças à minha amiga Danielle Pinto, descobri o restaurante do Belo Horizonte Othon Palace, de frente pro Parque Municipal.

Central, agradável, acessível e ao mesmo tempo com ares de exclusividade, o Varandão do Othon já se tornou um dos meus pontos de observação favoritos na cidade! A comida não é lá grandes coisas (e cara), mas o café é delicioso – uma desculpa para subir até o 25º andar e apreciar a vista.

Leia o post e inclua o Othon no seu roteiro por Belo Horizonte.

Rolar para cima