Museus imperdíveis e outros passeios pelos bairros de Amsterdam

Sei que Amsterdam é conhecida pelos seus… cafés… e suas prostitutas. Sobre isso, tenho a dizer que achei muito bem feitas as cirurgias de silicone das moças que ficam nas vitrines apertadas do Red Light District e que não é aconselhável estar de bicicleta nos dias que você for experimentar substâncias que venham a alterar sua percepção do mundo. Você pode acabar com um joelho roxo ou pior. True Story.

 

Um ponto imperdível da cidade é a Museumplein – a praça dos museus.

 

É aqui que estão essas letras famosas da foto aqui de cima e vários museus, os quais destaco o museu de Van Gogh e o Rijksmusem (fala-se “rreiks museum”).

 

Van Gogh Museum

O primeiro é óbvio: obras do pintor holandês mais famoso de todos os tempos. Eu achava que ia ser a casa casa mesmo do Vincent, mas é um prédio moderno de 4 andares.

 

Fiquei desapontada? Sim, mas o museu ainda é bem bonito, com obras das diversas fases do pintor. Só ficou faltando o quadro da Noite Estrelada, que fica no MoMA (Museum of Modern Art) em Nova Iorque – devolvam!!!

 

Compre ingresso antecipado para o Museu Van Gogh e evite a fila quilométrica

 

217962_10151136719889185_1000772228_n

Não dá pra tirar foto lá dentro, então fiquem com a vitrine muito kitsch de produtos vangoghescos da lojinha do museu. 

 

Rijksmuseum

O segundo é o museu nacional, com obras dos outros pintores holandeses, como os consagrados Rembrandt e Vermeer.

 

O Rijks está em reformas com exibição parcial do acervo, mas ele reabriu em Abril de 2013 – não perca se estiver por Amsterdam!

 

Compre sua entrada antecipada para o Rijksmuseum e evite a fila quilométrica

 

img_20120827_133953

Holandeses safadinhos esses retratados no Rijksmuseum

 

A Museumplein fica um pouco afastada do centro, mas bem perto de outro lugar legal, o Vondelpark (sabe aquele baseado que você não fumou inteiro no coffeshop? Acenda aqui).

 

377186_10151144436994185_1427780459_n

Não deixe de separar um tempo para relaxar na grama à beira de um dos lagos do parque e fazer caretas pra câmera.

 

Museu de Amsterdã

No centro da cidade, a atração que mais curti foi o museu da cidade de Amsterdam. Ele tem uma exibição-resumo que teoricamente dura 40 minutos e uma exibição grandona e permanente das obras todas da cidade.

 

Gostei MUITO da exibição menor, que é interativa e cheia dos designs. Ela  resume toda a história da cidade, desde sua fundação até a liberação legal de algumas drogas. Além de aprender sobre a construção de Amsterdam, da sua expansão, participação na Segunda Guerra e etcs, ela ainda é uma amostra do que o design holandês é capaz.

 

Várias palmas.

 

Compre seu ingresso antecipado e com desconto para o Museu da cidade de Amsterdã

 

img_20120823_161244

Foto tirada em uma das partes ~interativas~ do Museu de Amsterdam

 

Também curti muito pedalar pelo bairro de Jordaan (obviamente, o antigo bairro judeu antes de todos terem sido levados para campos de concentração). Lá tem o museu da Casa de Anne Frank, mas como eu evito coisas de Segunda Guerra Mundial, não fui.

 

O bairro em si é muito simpático, cheio de sorveterias, cafés e lugares grátis para simplesmente sentar e observar a vida.

 

Ao sul, o bairro De Pijp (pronuncia-se “dê paip”) é onde se concentraram os imigrantes mais recentes da cidade. Foi ali que achei o restaurante Casa Brazuca, onde comi um pão de queijo bastante decente (melhor que muitos já comidos em São Paulo) e um açaí ruim – porém açaí, não é mesmo? Eu estava sentindo falta, mas se você está fazendo só uma visita rápida, nem se dê ao trabalho e vá comer uns stroopwafels.

 

EYE Museum

Ah! E detrás da Estação Central de trens de Amsterdã, no norte da cidade tem a parte ~moderna~, a única com prédios envidraçados e todas essas modernices. Para chegar lá é preciso tomar uma balsa (grátis <3) e não perca o museu de cinema, o Eye.

 

378594_10151147309709185_772855503_n

 

Quando fui, estava rolando uma exposição animal do Kubrick, com vários objetos de cena dos filmes dele, além de roteiros originais, cartas, recortes de jornais e trechos dos seus filmes.

 

Fora as exibições de arte, o museu também funciona como cineclube e possui um café muito estiloso com vista para a parte mais “Amsterdam” de Amsterdam.

 

 

Compre ingressos pros museus com desconto e pule a fila:

Vale a pena comprar os ingressos antes porque esses museus costumam ter filas quilométricas!

Museu de Amsterdã

Casa da Anne Frank 

Museu Van Gogh

Museu Van Gogh com audioguia em português

Rijksmuseum

Rijksmuseum com guia em português

Reserve sua hospedagem em Amsterdã:

Bycicle Hotel

Hotelboot Angeline – hospede-se em um barco!

Amsterdam Hostel Leidsplein

WOW Amsterdam

e muitas outras opções

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *