Porque manter um diário de viagem

Escrever um diário de viagem atualizado nem sempre é fácil. É preciso disciplina para escrever todos os dias ou, pelo menos, algumas vezes por semana. Mas o esforço vale a pena no final, especialmente se você está fazendo uma viagem longa, mas também em viagens curtas quando a gente faz milhares de passeiros por dia.

 

É através dos meus diários de viagem que eu volto a acessar as cidades, museus, hotéis, passeios que fiz anos atrás. Também é relendo ele que me conecto novamente com os sentimentos que tive em diferentes momentos, as pessoas que conheci, as expectativas que tinha quanto ao próximo destino. E isso me faz reviver a viagem! Ajuda a acalmar as formigas nos pés quando não é possível viajar, hehehe

Reler o diário de viagem também quebra um pouco o romantismo que fica na memória, ao ver as dificuldades, ansiedades e questionamentos que eu estava sentindo na época. E ainda ajuda a relembrar os lugares, passeios, hoteis e preços para recomendar depois pros amigos ou aqui no blog!

 

Para ajudar a escrever o eusouatoa.com – e, antes disso, sou jornalista daquelas que gostam de documentar tudo -, no meu diário de viagem eu gosto de anotar três tipos de temas diferentes: as impressões do lugar onde estou, as coisas que fiz/comi/onde dormi (na ordem de ocorrência e com os valores gastos), as pessoas mais importantes que conheci.

 

Mas você não precisa escrever com toda essa riqueza de detalhes – ou pode aumentar ainda mais a quantidade de coisas que você quer registrar. Tenho amigos que anotam os sentimentos do lugar onde estão, outros que desenham as comidas que experimentaram, tem gente que faz colagens dos ingressos, embalagens, rótulos e outros papeizinhos que acumulam na viagem, quem faça listas, escreva texto corrido… O diário de viagem é pessoal, é seu! A melhor técnica é a que mais te agrada e pronto! O importante é guardar as impressões em algum lugar que você possa acessar novamente depois.

 

Não recomendo que o diário seja público, pois isso acaba inibindo reflexões pessoais que você não gostaria que os outros soubessem, tipo reclamar de gente chata que encontrou pelo caminho, relembrar das paqueras fugazes, registrar pensamentos íntimos que não precisam ser divididos com mais ninguém.

 

Álbuns de fotos no facebook e blogs para mim são complemento do diário, não substitutos. Mas se a preguiça for muita… bem, é melhor que nada!

 

Na foto que ilustra esse post estão meus diários de viagem da Volta ao Mundo de 2012. Foram três, sendo que só usei algumas páginas do último e ele é agora meu diário de viagem para essa estadia no México! Nenhuma das ilustrações são minhas, eu geralmente só escrevo mesmo, hehe. Nas páginas do fundo estão desenhos feitos pela Mariane, da família de beduínos que me acolheu em Petra, na Jordânia. A Mariane também me ensinou a escrever meu nome em árabe: tudo registrado no diário! Leia mais sobre essa história neste post (escrito pra vocês com ajuda do diário, para eu não me esquecer de contar nada!).

 

Como você gosta de registrar as suas viagens? Compartilhe nos comentários 🙂

1 pensamento sobre “Porque manter um diário de viagem”

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *