Briga de irmãs acaba em ousadia arquitetônica (ou: isso sim é que é mágoa de cabocla)

Eram duas irmãs muito ricas, que viviam em frente à belíssima Plaza San Martin, no centro de Buenos Aires. Uma delas era muito católica e adorava a vista de seu apartamento de luxo, no último andar do prédio. Dali dava pra ver o parque e, mais atrás, a igreja do Santíssimo Sacramento (estilo neoclássico misturado com gótico) com suas belas torres pontudas.

A outra irmã não ligava para a igreja, preferia ficar paquerando o senhor de bigode distinto que passeava todos os dias pelo parque em frente ao prédio das duas órfãs.

Acontece que um dia o tal senhor entrou no prédio, enamorou-se da irmã mais velha (a que era muito católica) e eles se casaram.

Uma história com final feliz?

Quem me dera… a irmã solteirona nunca superou o coração partido, se recusou a mudar do amado apartamento e passaram a viver os três um triângulo amoroso que estava mais para uma reta com três pontos.

A magoada vendeu todas as fazendas de gado que tinha para comprar o terreno na frente da igreja amada pela irmã e mandou construir um prédio imenso, que cobriria a vista das torres pontudas para sempre.

Este prédio, todo de concreto armado (novidade na época) e feito exatamente para cobrir qualquer vestígio da igreja para quem vê desde o outro lado do parque, foi o prédio mais alto de Buenos Aires por muitos anos, até que finalmente os arranha-céus tentaram dominar tudo. As irmãs fizeram as pazes eventualmente e as más línguas dizem que as festinhas no apartamento sempre foram muito animadas, se é que você me entende.

**ATENÇÃO: esta história é uma lenda porteña. Onde termina a ficção e começa a realidade (ou o contrário) ninguém sabe com certeza.**

2 pensamentos sobre “Briga de irmãs acaba em ousadia arquitetônica (ou: isso sim é que é mágoa de cabocla)”

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *