Conhecer a Capadócia de cima, de frente e de baixo

Primeira coisa que me perguntavam sempre quando eu dizia que ia pra Turquia: você vai voar de balão quando for conhecer a Capadócia, né?

 

 

Juro que, no começo, eu achava que não valeria a pena. Seria caro e supervalorizado.

 

Achava que ia me decepcionar, “ah, deve ser a mesma coisa que se vê de baixo”. Mas não! Fiquei muito feliz de ter pagado os 120 euros para sobrevoar os vales da Capadócia, com todas aquelas formações rochosas incríveis e – um “plus a mais”, ver os 80 balões coloridos no céu ao nascer do sol.

 

É uau, uau e, por favor, mesmo que seu orçamento seja bem pequenininho, corte gastos em outros lugares e FAÇA o voo!

 

 

Cheguei em Göreme, uma das cidades da região da Capadócia, pela manhã depois de uma viagem de ônibus vinda de Istambul durante a noite. Mal fiz check-in e já saí para andar pela região. É possível alugar bicicletas (não recomendo porque é um caminho

com muita areia – difícil), motocicletas (se você souber andar!!!) ou mesmo tours que te levam para todos os lugares correndo.

 

Preferi andar por aí.

 

As trilhas são maravilhosas e não só a chegada nos “pontos chave” é bonita: o caminho oferece as chaminés de fadas, igrejas do século X (10, não x, hahahaha) escavadas nas montanhas, os criadouros de pombos antiquíssimos, cavernas-casas e paisagens incríveis.

 

 

Crianças, usem protetor solar, levem água na mochila e coloquem flores no cabelo.

É tudo que vocês precisam para um dia perfeito na Capadócia.

 

 

As igrejas são minúsculas! Cabem 30 pessoas na maior que eu vi, dentro do museu a céu aberto de Göreme (não vale tanto a pena, há igrejas e cavernas como as do museu fora dele – e de graça).

 

Gostei mais das pinturas do período iconoclasta, quando era proibido representar imagens de pessoas. Os padrões eram feitos com tinta à base de clara de ovo de pombo e pigmentos naturais.

 

 

Amei a vida natural da Capadócia também. Várias flores coloridas diferentes das que a gente vê no brasil.

 

Também havia um capim que mudava de cor quando balançava ao vento! Fiquei parada um bom tempo só observando a paisagem – incrível, incrível.

 

 

Passeei pelo Vale Rosa e pelo Vale Vermelho, chamados assim por causa da coloração das rochas ao redor deles.

 

O sol estava bem quente e a única barraquinha que vendia água não tinha ninguém nela para nos atender (!), então é mesmo necessário levar as próprias provisões.

 

Andei até o alto de um morro láaaa longe de Göreme e depois rachei um taxi (20 liras turcas – 20 reais) de volta para a cidade.

Ainda deu tempo de tomar banho de piscina no meu hotel – Nirvana Cave. Recomendo!

 

Paguei 10 liras turcas para acampar, com direito a um café da manhã tão farto que serve como almoço também.

 

O voo de balão

 

Na manhã seguinte, cedo cedíssimo às 5h da manhã, uma van veio me buscar para levar até o lugar de decolagem dos balões. Tive a sorte de pegar o único piloto (??) da Capadócia que fala português! Rodrigues, de Portugal!

 

O voo acompanha o nascer do sol e o balão vai ao sabor do vento para um dos diversos vales da Capadócia. No meu dia, sobrevoamos o “Vale do Amor”, chamado assim por causa das formações rochosas em forma fálica. ~Amor~, sacou?

 

O legal do balão é que ele parece uma coisa firme, você tem a sensação de estar no chão, MAS ESTÁ A 600 METROS DE ALTURA!

 

Tive um pouco de medo quando finalmente percebi que havíamos saído da terra firme (já estávamos a uns 3 metros de altura quando vi). Mas depois acostuma-se e dá pra aproveitar a paisagem.

 

Além de revisitar as rochas e cavernas que havia visto no dia anterior de outro ângulo, só olhar para o céu com todos aqueles balões coloridos e o sol ao fundo já valem a viagem.

 

 

Depois dessa aventura, voltei para o hotel, fiz o brunch com as comidas de lá – café da manhã tipicamente turco, com queijo feta, pepinos, tomates, pão, ovo cozido, mortadela.. E ainda havia cereal, iogurte, geléia e bolo <3

 

Passei o resto do dia sentada na beira da piscina, observando as cavernas bem em frente a ela.

 

 

Vista da piscina do Nirvana Cave Hotel. <3

 

Vida boa é isso aí! O resto…

6 pensamentos sobre “Conhecer a Capadócia de cima, de frente e de baixo”

    1. Olá Luh amiga da Carol também!
      Tudo joia, obrigada por visitar o blog 🙂 !
      Não tenho o contato dele, mas acho que chegando lá (ou mandando emails pras agências que fazem os voos) você pode encontra-lo facilmente – só tem um baloeiro português por lá!
      Um beijo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *