Como comecei a trabalhar em um albergue e feliz natal a todos os leitores!

O último mês foi muito agitado e cheio de trabalho, por isso peço perdão pela demora em atualizar o blog! Este é um post bem diário de viagem, para quem me acompanha sempre (olá, família!) e quer saber que diabos tenho feito.

 

Bom, com vontade de morar um tempo mais longo na Cidade do México, comecei a trabalhar em um albergue (hostel), o Hostel 333. Não é remunerado, é um esquema voluntário, em que troco hospedagem, café da manhã e almoço por 32 horas de trabalho por semana na recepção.

Existem vários lugares do mundo onde é possível fazer isso (alguns inclusive te pagam, rs) e cheguei ao Hostel 333 apenas descobrindo o endereço e conversando com Jorge, o dono. Entrei, perguntei se precisavam de gente para trabalhar e tive a sorte de saber que sim, estavam precisando de pessoas que soubessem falar inglês e espanhol (eu!). “Metade das coisas que você não tem é porque você não teve coragem de pedir”, sempre diz minha irmã.

 

Trabalhar no hostel é muito bacana porque estou o tempo todo em contato com gente. Trabalho com dois mexicanos, dois ingleses (um acabou de ir embora 🙁 despedidas de amigos são tristes) e dois americanos. Todo mundo é muito tranquilo de trabalhar, além de serem viajantes com muitas histórias e bons companheiros de festa e filmes à noite. Outra vantagem é que tenho um lugar tranquilo para chamar de casa e 3 dias de folga (trabalho 4 dias por semana, em turnos que podem ser de manhã, tarde ou noite – de madrugada) e outros horários livres para explorar a cidade com calma. Frequentemente também tenho companhia pros passeios: o hóspedes ou meus companheiros de trabalho.

 

Vamos fazer uma grande ceia de natal hoje! Cada um vai fazer um prato de seu país (Gabi vem jantar conosco e vai fazer farofaaaaaaa!!! E mousse de maracujá!) e provavelmente beber bastante. É uma ótima poder participar da ceia aqui mesmo, já que esse é um feriado super familiar no México e NADA estará aberto. Todos os hóspedes estarão na ceia também – não são tantos, mas são boas pessoas. Felizmente alguns hóspedes chatos já foram pra outros lugares, rs.

 

Desde o começo de dezembro, a recepção e o bar têm árvores de natal de verdade (pinheiro natural) que ajudei a enfeitar. Ao longo do mês, ganhamos também muitos enfeites de papel tradicionais dinamarqueses feitos por uma das hóspedes (que está aqui há quase o mesmo tempo que eu, fiz seu check-in no meu terceiro dia). Acordei há pouco e a recepção cheira a ponche, bebida tradicional de natal mexicana feita com maçã, canela, cravo, pilonzillo (rapadura) e tequila, que está sendo preparado agora para a festa mais tarde. Para completar o clima de natal, está chovendo! Fazia mais de um mês que não chovia, estava ultra-mega-seco, mas ontem veio uma frente fria e acordamos ao som dos pingos. Em BH, natal é sinônimo de chuva, então isso completa o cenário. Só podia estar mais quentinho… mas aí é pedir demais pro hemisfério norte, hehehe.

 

Uma boa parte da vida no hostel envolve festas, visto que não existem exatamente dias da semana para farrear e sempre tem um hóspede que você virou amigo que está indo embora ou chegando afim de celebrar. Para trabalhar num albergue, é preciso saber lidar com despedidas e ter equilíbrio com bebida! Ainda bem que quase não bebo, então não gasto muito e mantenho meu corpo saudável – não posso dizer o mesmo por alguns colegas de trabalho, que acabam passando muito de seu tempo livre de ressaca no sofá da recepção.

 

Quero escrever melhor sobre a experiência de trabalhar no hostel em outro post, com melhores informações e dicas para quem estiver afim de procurar esse tipo de trabalho, aguardem!

 

O natal é um feriado para celebrar o nascimento de um personagem que veio à Terra nos ensinar o amor a todas as criaturas, então desejo a todos os leitores uma linda noite, cercada de amor e boas vibrações onde quer que estejam!

 

Hospede-se na Cidade do México

Opções na Roma/Condesa

Pra mim, o melhor bairro pra se hospedar: perto do metrô, do metrobus (BRT) e de diversos bares e restaurantes

Hostel 333 – o hostel onde trabalhei na Cidade do México. Excelente localização, preços baixos, festas no terraço.

Hostel Home – hostel parceiro do Hostel 333 – mais calmo e com excelente wifi, hehe.

Hostel Condesa

 

Opções no Centro Histórico:
Hostel Mundo Joven

Mexico City Hostel

Anys Hostal

 

Opções na Zona Rosa e Colónia Juarez

La Tercia

Hostel Inn Zona Rosa

Hotel Casa Gonzalez

5 pensamentos sobre “Como comecei a trabalhar em um albergue e feliz natal a todos os leitores!”

    1. Olás! Eu sou jornalista! Para fazer a volta ao mundo e quando fui morar no México, economizei dinheiro, me demiti e fui viajar, hehe. Para as outras, viajei nas férias mesmo, feriados prolongados, quando dá 🙂

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *