Arde ou não arde? Dicas para lidar com as pimentas mexicanas

A tolerância à pimenta é algo pessoal e que muda à medida que se consome mais e mais picante. Se estiver indo para o México Índia ou sudeste asiático, a pimenta fará parte da sua vida, quer você queira ou não. Se for alérgico, traga remédio antialérgico porque às vezes é impossível que a comida venha sem picante. A pimenta está na panela, nos utensílios, no ar onde a comida é preparada, mesmo que eles não acrescentem pimenta ao seu prato, é possível que venha algum vestígio dela, então conheça o comportamento da sua alergia e esteja preparado para lutar contra ela.

 

Boa notícia para os alérgicos e pouco tolerantes à pimenta: em comparação com a comida asiática, a comida mexicana não é tão apimentada.

Enquanto num prato tailandês é impossível fugir da pimenta porque ela está em quase todas as preparações, no México, a maioria das comidas de rua vêm sem pimenta (e com pouco sal) porque é esperado que você ataque os molhos oferecidos pelo restaurante (ou barraquinha). Adicionar salsa (molho) é parte do ritual gastronômico mexicano.

 

Se você não adicionar os molhos de pimenta, muitos pratos vão parecer frios de sal e condimentos: o segredo está na salsa. Se você não pode com pimenta, peça sal, limão, cebola e coentro para condimentar sua comida.

 

Essa regra não vale para os pratos que vêm sem molho de pimenta ao lado, como mole, entomatadas e chilaquiles: nesse caso, a pimenta já vem na preparação (ou não), então pergunte para o garçom antes de pedir.

 

Existem diversas pimentas mexicanas, aprender a distinguir entre elas é vital para não pagar o mico do gringo da boca ardida. Via de regra, os molhos de habanero são os mais picantes e os molhos verdes (quando não são de habanero) feitos com tomate verde ou abacate são os menos picantes. Jalapeños, famosos no Brasil por serem fortes, são consideradas pimentas mexicanas de ardência média. A pimenta chipotle é a mais defumada (uma das minhas preferidas). O chile serrano é tipo a nossa dedo-de-moça. E o chile poblano é um pimentão verde escuro com mais sabor: na maioria das vezes, ele não é picante, mas dizem que um a cada 10 poblanos arde muito, então prove com cuidado antes de dar uma boa garfada em um.

 

Muitos lugares fazem o seu próprio molho, o que eu acho muito mais gostoso (fique de olho se ele parece fresco e se o lugar parece limpo antes de encher o prato, sempre!),mas outros oferecem salsas industrializadas, o que tem a vantagem de conter rótulo com lista de ingredientes e, por isso, apresentar menos surpresas quanto ao seu grau de picância.

 

Regra de sobrevivência: use um pedacinho de tortilha e prove-a com uma gota do molho antes de encher meu taco de condimentos.

 

Abaixo, testes de sabor e picância com 6 molhos de pimenta bastante comuns na Cidade do México.

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas5

 

Salsa Huichol – 1 pimentinha

Não se deixe enganar pelo rótulo: esse é o menos picante dos molhos da foto.

Feita com jalapeños, é um pouco amarga, mas bastante branda em termos de ardência.

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas7

 

Salsa Valentina – 2 pimentinhas

Um dos molhos mais comuns do México. Ela é usada pelos mexicanos como se fosse catchup.

Não arde muito em comparação com outras, mas é mais forte que a Huichol (acima).

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas2

 

La Guacamaya – 3 pimentinhas

Ácida e levemente doce.
É mais picante que a Valentina, mas também mais saborosa. Dos 6 molhos sobre a mesa, a minha preferida, mas usei com moderação.

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas6

 

Salsa Marisquera México Lindo – 3 pimentinhas

Levemente defumada e com bastante sabor de tomate, é um molho teoricamente ideal para ser usada com frutos do mar.

Não gostei muito. É tão picante quanto a Guacamaya (acima).

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas3

 

Chimay Negra – 4 pimentinhas

HABANERO! Uma das pimentas mexicanas mais fortes! A marca Chimay tem 4 versões: amarela, roja, negra e verde, sendo que a amarela é a mais ardida de todas e a verde “não arde” (arde, sim, mas não tanto quanto as outras).

A negra é gostosa, pra mim que já estou acostumada com as pimentas daqui, dá pra pingar umas gotinhas sem fazer careta.

 

pimentas-mexicanas-eusouatoa-salsas4

 

 

Chimay Roja – 5 pimentinhas!!

Bastaaante picante! Não comeria de novo em um taco, mas talvez pingando algumas gotas em uma sopa ela fique palatável.

O sabor da habanero é muito intenso e eu gosto, apesar do ardor.

 

Comeu e ardeu demais?

Peça um copo de suco ou refrigerante, o açúcar ajuda a cortar o picante da boca.

 

Hospede-se na Cidade do México

Opções na Roma/Condesa

Pra mim, o melhor bairro pra se hospedar: perto do metrô, do metrobus (BRT) e de diversos bares e restaurantes

Hostel 333 – o hostel onde trabalhei na Cidade do México. Excelente localização, preços baixos, festas no terraço.

Hostel Home – hostel parceiro do Hostel 333 – mais calmo e com excelente wifi, hehe.

Hostel Condesa

 

Opções no Centro Histórico:
Hostel Mundo Joven

Mexico City Hostel

Anys Hostal

 

Opções na Zona Rosa e Colónia Juarez

La Tercia

Hostel Inn Zona Rosa

Hotel Casa Gonzalez

3 pensamentos sobre “Arde ou não arde? Dicas para lidar com as pimentas mexicanas”

  1. Excelentes dicas. A princípio, pimenta é tudo igual, e comida mexicana para nós é sinonimo de muita pimenta! A dica do açucar é ótima. Rsrsrs

  2. Fiquei uns dias no México, e realmente usam essa Valentina como ketchup mesmo haha um macete pra amenizar a ardência da pimenta e manter seu sabor.. é só jogar sal e limão encima, fica com o gosto bem menos agressivo.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *