Mazunte, Oaxaca, um oásis relaxante na costa do Pacífico

O pôr do sol na Punta Cometa, em Mazunte, Oaxaca – México. Aí, 15 minutos depois, a lua nasceu, também no mar, do outro lado

 

Está indo pro México e quer conhecer uma praia incrível, sem stress, sem preocupação e que não está tomada por turistas chatos (ainda)? Quer uma praia que tenha comida mexicana de verdade? Mas que também tenha opções vegetarianas, argentinas, árabes, pizza, pães e café italiano?  Quer caminhar por um pequeno e pacífico povoado com ruas de terra e areia? Quer ver o pôr do sol no mar todos os dias?

 

Pare de olhar as fotos de Cancun e preste atenção na costa do estado de Oaxaca, virada pro Pacífico.

O México tem diversas praias maravilhosas e com diferentes qualidades de estrutura para atender aos turistas. Eu conheci a costa de Oaxaca por acaso: minha amiga Cristiana Brandão também estava viajando pelo México e me chamou para ir a Puerto Escondido com ela. Nunca tinha ouvido falar sobre essa praia e ela sabia pouca coisa, então fomos perguntando às pessoas que conhecemos na cidade de Oaxaca para saber se a viagem valeria à pena.

 

Acabamos por averiguar que Puerto Escondido era um destino de festa, muitos jovens, algumas praias de surfistas… imaginei logo uma Porto Seguro e pensei “não é a minha vibe!” Por sorte, o pessoal que deu informações pra gente tinha a solução: “Por que vocês não vão pra Mazunte?” – Fomos. E gostei tanto que fui de novo para passar o Ano Novo!

 

mazunte-eusouatoa-jacuzzi1

Praia de pedras, vista de cima da Punta Cometa (não dá pra nadar aí!)

 

Mazunte está localizada no fim de uma estrada serpenteante que sai da capital do estado de Oaxaca (que também se chama Oaxaca), passando por campos de cactus, florestas de pinheiros em montanhas íngremes e temperaturas que variam do calor seco, frio úmido e calor úmido. Se você não tiver tempo para descer a montanha apreciando a vista, também é possível pegar um avião até Puerto Escondido ou Huatulco e terminar de chegar a Mazunte em apenas uma hora de transporte coletivo.

 

O lugar era, inicialmente, só uma vila de pescadores na beira da estrada (a única com real movimento de carros, mas é uma estradinha pequena, com uma pista de cada lado). O oásis foi descoberto por hippies (mexicanos e estrangeiros), que foram montando suas casinhas ao lado da dos pescadores. Atualmente, uma lei proíbe a construção de casas com mais de dois andares no povoado, o que impede seu crescimento descontrolado, como tem acontecido no povoado vizinho, San Agustinillo

 

Como chegar em Mazunte

Saindo da cidade de Oaxaca com transporte público, é preciso pegar uma van até Pochutla, uma cidade maiorzinha na região (e onde você encontra mantimentos que não conseguir em Mazunte e também uma variedade de caixas eletrônicos).

 

Existem algumas companhias de transporte que ligam Oaxaca a Pochutla, localizadas na rua Armenta y López por volta do número 600 (agências Eclipse e Atlantida). As vans saem de hora em hora – se você não estiver em alta temporada, não precisa reservar lugar. Se quiser garantir, peça para reservarem o seu assento na recepção do seu hostel – ou vá até lá.

 

A estrada até Pochutla é infernal. A primeira vez que viajei pra lá, fui à noite: não consegui dormir e foi por pouco que não enjoei no caminho. Minha dica é viajar de dia e fazer uma parada em San José del Pacífico, um povoado MUITO FOFO que fica no meio das montanhas (culpadas pelas curvas da estrada).

 

sanjosedelpacifico-parada-eusouatoa

Pausa para descanso em San José del Pacífico

 

Você pode comprar passagem Oaxaca – San José e outra San José – Pochutla uma hora depois, só pra dar essa paradinha. Ou então toma um dramin, senta na frente da van e vai direto!

 

Se você, como eu, ama montanhas e tiver um tempinho a mais, você pode até se hospedar em San José del Pacífico. Eu fiquei na Pousada La Catalina, localizada numa rua que sobe MUITO, em frente ao ponto onde a van para. É preciso perguntar. Existem vários lugares fofos, o mais importante é ser limpo e ter uma bela vista 🙂

 

Atenção: o povoado é famoso por seu turismo alucinógeno – especificamente, cogumelos mágicos – e muita gente acaba ficando lá vaaaaários dias endoidando. Mas a cidade vale a pena mesmo se você não estiver atrás de uma ~onda mutcho louca~, porque a paisagem é linda, o ambiente é calmo e os restaurantes são gostosos e baratos. Ah, leve casaco, porque San José del Pacífico fica no alto das montanhas e enfrenta temperaturas baixíssimas (0° C) à noite! Você pode fazer passeios pelas florestas de pinheiro – na época que eu fui, Janeiro, ela estava coberta de flores por todos os lados, fazer um tesmascal (ritual maia que vou explicar melhor num post em breve!), comer muito, dormir e acordar cedo para chegar fresco e pronto pro calor de Mazunte.

 

sanjosedelpacifico-eusouatoa

Atardecer em San José del Pacífico

 

Bom, considerando que você conseguiu chegar tranquilo a Pochutla (com o seu almoço no estômago ou não), basta perguntar onde saem os “camiones” para Mazunte. Camión é uma caminhonete com banco atrás. Eles param na estrada que vai à Puerto Escondido, em Mazunte e depois seguem a San Agostinillo (a 1 km de Mazunte) e Zipolite (uma praia nudista bem bonita que também fica perto).

 

mazunte-eusouatoa-pordosol-zipolite

Pôr do sol em Zipolite. A praia é bonita, mas é um destino mais movimentado, e um pouco mais caro, do que Mazunte. Você pode pegar um camión até Zipolite e passar o dia por lá

 

O que fazer em Mazunte

Mazunte tem apenas três ruas que desembocam na praia, a estrada que corta a cidade e algumas ruas que vão para o interior do vilarejo. Ah, e só tem um caixa eletrônico. Que muitas vezes fica sem dinheiro. Então, leve pesos em espécie para gastar lá. Hoje em dia, já é possível encontrar mantimentos básicos (abacates!!) em mercadinhos pequenos, para cozinhar no hostel se você quiser. Se estiver afim de comprar peixe para preparar, vá até a ponta esquerda da praia pela manhã ou no final do dia. Mazunte oferece várias opções de restaurantes se você
não quiser se ocupar com isso.

 

Se você precisar de mais dinheiro durante sua estadia, basta pegar um transporte de 10 pesos até Pochutla e usar os caixas de lá.

 

Essa alternativa é melhor do que tirar um montão de dinheiro de uma vez e guardar essa quantidade no hotel.

 

mazunte-eusouatoa-praia

Praia principal em Mazunte
A vida em Mazunte é muito difícil: você tem que fazer escolhas do tipo: vou ficar na praia principal, vou andar até a Jacuzzi (praia com fundo de pedras, onde pedras grandes seguram as ondas e formam uma piscina natural), vou ver o pôr da Punta Cometa (ponta de pedras, onde você vê o sol se pôr no mar e a lua nascer no mar também) ou na praia Mermejita (que fica do outro lado da Punta Cometa, 20 minutos de caminhada tranquila de Mazunte)?

 

mazunte-eusouatoa-jacuzzi2
Eu na Jacuzzi. Geralmente, não tem quase ninguém lá – leve sua própria água e lanchinhos
Sabe, é muito dramático ter tantas opções, hehe.

 

Mazunte também é onde fica o Centro Mexicano da Tartaruga.

 

Você pode ir visitar tartaruguinhas no centro <3 <3 <3

 

Também é possível fazer um tour de barco para ver tartarugas, golfinhos, peixes maiores e fazer snorkel. Os tours custam de 200 a 250 pesos (dependendo de quantas pessoas estão no barco).

 

O passeio que fiz foi lindo, MAS não apoio passeios que promovem encontros com animais selvagens da maneira como aconteceu no meu tour.
Recomendo que escolham operadores que não oferecem o contato direto com as tartarugas.

 

mazunte-eusouatoa-tartaruga
Tartaruga chatiadíssima que teve que parar de nadar pra tirar foto com esses humanos…

 

Na época que fui, tinha menos consciência sobre o assunto e fui bem feliz nadar com a tartaruga. Hoje, me arrependo dessa foto e não quero fazer isso jamais!

 

No meu tour, também vimos um casal de golginhos brincando ao redor do barco (não consegui tirar fotos) e passeamos pela costa de Mazunte, San Agustinillo e Zipolite.

 

mazunte-eusouatoa-barcos

Foto tirada de dentro do barco no tour

 

Durante o tempo que você ficar em Mazunte, provavelmente você vai ver as mesmas pessoas. Isso faz com que a sua estadia na praia fique parecendo um reality show, com os mesmos personagens sempre, hahaha.

 

O bom disso é que a maioria das pessoas é muito legal e quer bater papo com você. Se estiver viajando sozinho, com certeza vai fazer muitos amigos – e se estiver viajando com amigos (as duas vezes que fui, estava com mais gente), também 🙂

 

Onde comer em Mazunte

Meus restaurantes preferidos foram:

Doña Jose – na rua principal, quase na saída do povoado em direção à San Agustinillo. Restaurante de comida tradicional. A Doña Jose, uma avozinha mexicana muito simpática, prepara pratos feitos com peixe pescado no dia.

Tlayudas na rua principal – Não consegui lembrar o nome do restaurante, mas quase em frente ao Om Shanti existe um lugar onde eles fazem deliciosas tlayudas (tortilla mexicana crocante recheada de muito queijo e carne, que pode ser linguiça, carne de boi ou porco).

Casa Om Shanti – localizado no centro da rua principal (a estrada), é um restaurante vegano com inspiração indiana. Oferece menus baratos com entrada e prato principal – e tem jarras imensas de suco feito na hora. Delicioso!!

La Choripanería – Os donos (e garçons) são argentinos, que já vivem em Mazunte há um tempo. O legítimo choripan (sanduíche de linguiça no pão francês) e também sanduíche de carne macia preparada à argentina! Eles também têm vinho argentino no cardápio – e, quando eu estava lá, também tinham brigadeiro de colher como sobremesa!

 

Hospede-se em Mazunte

Como todo lugar muito hippie, são poucos os hoteis e hostels baratos de Mazunte que estão na internet.

O Booking.com, que tem parceria com o blog, mostra duas opções:

Posada Ecohabitas, que é bastante fofa e tem uma bela vista pra praia!

E Casa Om Shanti, com inspiração indiana – eles são donos do restaurante vegano também.

Minha dica é reservar uma noite e depois caçar outra hospedagem por lá mesmo.

A melhor pousada, em termos de estrutura, que conheci lá é a El Arquitecto, que fica quase na praia. Porém, me roubaram 500 dólares lá – o dinheiro estava nos lockers do hostel, alguém abriu meu cadeado, pegou o dinheiro e fechou ele de novo… Então, não recomendo.

6 pensamentos sobre “Mazunte, Oaxaca, um oásis relaxante na costa do Pacífico”

  1. Pingback: O Dia dos Mortos no México é tipo o carnaval no Brasil!

  2. Olá.Amei o relato, me esclareceu várias dúvidas e me fez ficar ainda mais ansiosa para conhecer Mazunte.Estou com duas dúvidas, de Oaxaca para Pochutla é quanto tempo de viagem e a van é no valor de quanto?
    Parabéns e obrigada!

  3. Pingback: 12 razões para viajar para Oaxaca AGORA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *