Pequenos prazeres

Descubra os sabores da Amazônia no Mercado Ver-O-Peso, em Belém do Pará

É no Mercado Ver-O-Peso, considerado a maior feira livre da América Latina, que deságua a maioria dos produtos amazônicos, de onde partem para o resto do mundo.

Belém é uma cidade mágica, efervecente, hospitaleira, quente, úmida, inebriante. E o Mercado Ver-O-Peso é a porta de entrada para começar a experimentar esse mundo novo amazônico com o passo firme.

Acompanhe a movimentação do mercado nesse post nostálgico com muitas saudades do mercado, do açaí fresquinho, das frutas loucas da amazônia, das pessoas, do sotaque, da comida, do jambú, de tudo!

Passeio de domingo pelo (futuro) Parque Minhocão em São Paulo

No meu sonho para o Parque Minhocão, em poucos anos todos os apês mais próximos ao elevado terão se tornado espaços culturais integrados a ele, se tornarão ponto nobre da cidade, e o asfalto do Minhocão vai estar coberto de plantas. Mas ainda falta muito chão para chegar ao modelo ideal de ocupação. Isso se um dia chegar, é preciso encarar as promessas políticas com ceticismo.

Leia a coluna completa sobre um passeio de domingo pelo Minhocão na minha contribuição semanal na MaxMilhas (link no blog).

Um café com vista para o centro de Belo Horizonte

Por se localizar no vale da Serra do Curral, o centrão de BH tem poucos mirantes de onde se pode ver a cidade de cima. O jeito é recorrer a um prédio que tenha vista. No começo do ano, graças à minha amiga Danielle Pinto, descobri o restaurante do Belo Horizonte Othon Palace, de frente pro Parque Municipal.

Central, agradável, acessível e ao mesmo tempo com ares de exclusividade, o Varandão do Othon já se tornou um dos meus pontos de observação favoritos na cidade! A comida não é lá grandes coisas (e cara), mas o café é delicioso – uma desculpa para subir até o 25º andar e apreciar a vista.

Leia o post e inclua o Othon no seu roteiro por Belo Horizonte.

Me perdi pelos caminhos que levam a Roma

Minha passagem por Roma não durou mais que 16 horas. Eu estava entre uma viagem de trem noturno e outra e não pude barganhar nem uma hora a mais na cidade. O que fazer em Roma na minha visitinha rápida? O que seria essencial?

Aqueles ônibus de turismo que te levam pra mil lugares não são a minha praia. Descartei. Li diversos artigos sobre Roma na internet, folheei alguns guias rápidos, perguntei sobre os pontos imperdíveis da cidade a amigos que já tinham ido pra lá. Essa pesquisa só me fez ter mais e mais raiva por não conseguir estender minha passagem pela capital italiana.

Decidi que não ia me estressar com nada. De que adiantaria correr? Não era assim que eu queria incluir Roma da minha “lista de cidades que já conheço” (que não existe assim desse jeito, mas existe, sabe como é). Não seria dessa vez que eu conheceria Roma, as 16 horas seriam apenas uma missão de reconhecimento.

Pausa para o çai em Istambul, Turquia

Olá! Comecei uma categoria nova no blog! Pequenos Prazeres, sobre (dã) pequenos prazeres de viagem que custam pouco ou nada para aproveitar o que o mundo tem pra nos oferecer sem precisar vender as jóias da vovó – a herança a gente vende pra fazer outros passeios 😉

Pensei nessa categoria para ajudar os amigos que estão com siticotico pra viajar, mas ainda titubeiam pensando no preço do dólar. Viajar não precisa custar caríssimo! Basta saber escolher pra onde vai o dinheiro. E o blog quer te ajudar nessa, vem comigo!

Pra começar a Pequenos Prazeres, não podia deixar de escrever sobre Istambul, cidade que mora no meu coração. O ritual de tomar çai – a qualquer hora do dia, só ou acompanhado – é delicioso, barato e a desculpa perfeita pra descansar o corpo depois de muito perambular pela cidade.

Rolar para cima