Kerala, na Índia: será que é seguro para uma mulher viajando sozinha?

Esse post é continuação deste aqui.

 

Pensa Índia.

 

Pensa em viajar pra Índia.

 

Pensa nos medos que você tem quando pensa em viajar pra Índia.

 

Deixa esses medos pra lá e vem pro Kerala!

 

O estado é diferente de todos os estereótipos da “Índia Perigosa Para Mulheres”. Nos 15 dias que passei viajando de um lado para o outro em Kerala, não me senti ameaçada nenhuma vez.

 

Não estou dizendo que seja um estado livre do machismo, mas senti que é uma região mais tranquila para ser uma mulher viajando sozinha do que o próprio Brasil.

 

eusouatoa_kerala_kumarakom_criancas

 

Kerala tem o maior IDH da Índia, 0,79 (o máximo é 1. O Brasil é nota 0,754 e a Índia como um todo é nota 0,46), que muito se deve à alta expectativa de vida, população quase que 100% alfabetizada, a menor taxa de mortalidade infantil, a melhor saúde pública e um dos maiores PIBs per capita da Índia.

 

Kerala se orgulha de ter as “cidades mais limpas da Índia” e realmente são bem, bem, bem, beeeem mais limpas que as cidades do norte que eu visitei há 5 anos. Ainda são sujas para os padrões brasileiros, mas nada chocante.

 

eusouatoa_kerala_rio nila_teatro de bonecos de sombras

Teatro de bonecos de sombras tradicional da bacia do Rio Nila. Ramachandra Pulavar e sua família são a 12ª geração a manter essa tradição viva! 

 

O estado também busca preservar sua abundante vida selvagem com parques nacionais e áreas de proteção, e suas tradições centenárias, com projetos de resgate das tradições, ensino dos ofícios artísticos para os mais novos e valorização e difusão da cultura em escolas, comunidades e para os turistas, buscando um equilíbrio sustentável (tão no caminho… inclusive acho que o Brasil poderia aprender muito com a The Blue Yonder).

 

eusouatoa_kerala_kochi_comunismo

 

O estado foi o primeiro a eleger o comunismo democraticamente (o partido comunista é o mais popular do estado, é cheio de grafites com o Che Guevara nas paredes, além das onipresentes bandeiras vermelhas com a foice e o martelo) e hoje o partido reveza o poder com o partido do Congresso Nacional. Como consequência, os trabalhadores kelalitas gozam da mais alta média de salários do país – e também de uma grande quantidade de greves (inclusive teve uma greve bem grande quando eu estava lá, contra o aumento das taxas de seguros de veículos).

 

eusouatoa_kerala_kumarakom

Casal mostra sua águia de estimação, que está com a asa quebrada. Eles vivem num vilarejo às margens do lago Kumarakom.

 

Junta essa prosperidade com uma cultura historicamente aberta às diferenças. Há milênios, a região de Kerala recebe estrangeiros em sua costa, graças às especiarias que são cultivadas na região. Pimenta-do-reino e cardamomo são plantas nativas e a Terra das Especiarias está nas rotas de comércio egípcias, gregas, romanas, chinesas e árabes há centenas de anos.

 

E aí depois vieram os europeus com sua mentalidade colonial. Vasco da Gama foi o primeiro a chegar por lá, abrindo a rota maritma para o oriente. Pedro Álvares Cabral estava procurando Kerala quando ~foi parar~ no Brasil. Depois aportaram os holandeses, que expulsaram os portugueses, e por último os ingleses tomaram o poder até a independência da Índia, em 1947. Os judeus também foram historicamente bem recebidos em Kerala, pois os marajás da região logo viram seu tino para os negócios e os colocaram a cargo das operações financeiras de seu porto. Hoje eles têm uma população judaica muito baixa, mas isso se deve ao sionismo após a criação do estado de Israel.

 

Esses fatores históricos e culturais resultaram em um povo receptivo, religiosamente diverso (são 60% hinduístas, 20% muçulmanos e 20% cristãos), aberto a mudanças e menos machista do que o norte da Índia, que eu visitei há 5 anos.

 

Saí à noite sozinha com minha câmera fotográfica á tiracolo pelas ruas de Munnar, cidade movimentada nas montanhas dos Western Ghats, e me senti COMPLETAMENTE segura e acolhida.

 

Fora isso, também achei bem fácil me perder e me encontrar pelas ruas, já muitas pessoas falam ao menos o básico de inglês e são super receptivas, simpáticas e interessadas em nos fazer sentir acolhidas em seu país.

 

eusouatoa_kerala_kochi_selfie

Essa senhora me catou no meio das ruas de Kochi para tirarmos um retrato juntas <3 

Isso dito, nunca deixe de cuidar da sua segurança

Regras básicas de cuidado com os pertences e com a própria segurança pessoal são universais e aplicáveis em qualquer parte do mundo! Comporte-se como você se comportaria no Brasil, numa cidade grande, que está tudo certo.

 

Para mais dicas de segurança em viagens, confira esse post.

 

Ainda não se apaixonou pelo Kerala? Leia esse post!

Reserve sua estadia em Kerala

O estado conta com diversos hoteis 5 estrelas incríveis e também pousadinhas charmosas e hostels baratíssimos. Tem para todos os bolsos na Índia! Reserve pelo link do blog, custa o mesmo pra você e este blog recebe um incentivo para continuar existindo 🙂

 

eusouatoa_kerala_plantacoes de cha_colheita2

 


Lívia Aguiar viajou a Kerala a convite da Secretaria de Turismo de Kerala e fez parte da blogtrip Kerala Blog Express, season 4. Todas as opiniões aqui expressas refletem minha opinião genuína e experiências durante a viagem.