Pan de muerto, nham nhammmm [diário de viagem]

O Dia de los Muertos está chegando (é na madrugada do dia 1º para o dia 2 de novembro) e todas as padarias e “pastelerias” (bolerias?) vendem o pan de muerto. Esse pão é doce preparado com essência cítrica, que pode ser de laranja ou limão, e cobertura de açúcar cristal.

 

Ele é muito gostoso! Foi a primeira coisa que comi fora de casa quando cheguei ao México (foto acima desse momento lindo), no café Manduca. Gabi me levou para passear pelo seu bairro e paramos ali para um lanchinho 🙂

Ao morder, que surpresa! É um pão muito muito macio e desfia nas mãos, quase como um panetone, mas bem mais leve. Todo lugar onde pedi (já comi uns 4 pães de muerto diferentes), vieram garfo e faca, mas prefiro desfia-lo com as mãos mesmo.

 

O formato mais comum é o redondo, com uma bolinha menor no centro que simboliza a caveira do morto, e quatro tiras laterais que saem do centro, que são como os ossos do esqueleto. O sabor cítrico seria para lembrar dos falecidos. Também existem pães de muerto com formatos de corpos humanos, animais, plantas ou seres fantásticos (mitomorfos).

 

Sim, ao comer um pan de muerto é como se você estivesse comendo um morto mesmo, uma lembrança dos tempos pré-hispânicos, quando os povos americanos tinham rituais antropofágicos.

 

pan-de-muerto-2

Vitrine da Padaria Suíça, outro lugar gostoso para comer o pan de muerto

 

A história sobre sua origem diverge: alguns dizem que, quando chegaram os espanhóis, a antropofagia foi proibida e eles começaram a fazer um pão de trigo com formato de coração e cor vermelha para substituir o coração cru que os povos nativos comiam em alguns rituais. Outros historiadores falam que alguns povos pré-hispânicos faziam um pão com sementes de amaranto moídas misturadas com sangue dos mortos em sacrifício, que eram oferecidos aos deuses Izcoxauhqui, Cuetzaltzin ou Huehuetéotl. (mais sobre a história do pan de muerto, em espanhol).

 

Seja como for, prefiro o pão de trigo com água mesmo. E estou torcendo para que algumas padarias continuem vendendo dele quando passar o Dia dos Mortos… E olha, já podem adotar a receita no Brasil, vai ser sucesso!

1 pensamento sobre “Pan de muerto, nham nhammmm [diário de viagem]”

  1. Pingback: Fotos tiradas durante o Dia dos Mortos em Oaxaca

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *