De rolê por Inhotim e Brumadinho: receita de pão de queijo mineiro

Quem já lê o blog há tempos conhece a minha receita de pão de queijo de família, passada pra mim pela minha mãe e avó. Acontece que o melhor pão de queijo mineiro mora na casa da sua avó mineira, as receitas variam demais, demais, de acordo com as preferências e experiências de família, mas ela certamente será uma receita muito mais gostosa do que as que são vendidas em restaurantes, cafés e outros estabelecimentos por aí. Por que? Porque a sua avó não vai economizar na quantidade e qualidade do queijo e dos ovos! Essa é a principal premissa para uma boa receita de pão de queijo 😉

Na viagem que fiz a Brumadinho, fui convidada pelo De Rolê Por Brumadinho a fazer um workshop de pão de queijo oferecido pela Telma Brandão na Casa da Horta! Ou seja: aprendi uma receita de família diferente da minha – e que delícia! Amo as duas, não quero alimentar disputas familiares, meu estômago e papilas gustativas gostam de ambas kkkkkkkkk

 

Pra quem não tem família mineira, tá aí uma excelente oportunidade pra levar pra casa sua receita de família emprestada e repetir em casa, impressionando a

todos com sua sabedoria tradicional pãodequeijística.

 

 

As receitas geralmente consideram 1kg de polvilho, doce, azedo ou uma mistura entre polvilho doce e azedo. Sim, rende muitos pães de queijo, mas é só enrolar as bolinhas da massa crua e congelar o que sobrar, se sobrar, hehe.

 

O queijo é ingrediente de extrema importância (claro!!!) e não tem como alcançar o gosto do pão de queijo mineiro em Minas se você não trouxer o queijo diretamente de Minas. Acontece que, ainda que o queijo de Minas seja tombado como Patrimônio Imaterial Brasileiro, ele não pode ser comercializado fora de Minas Gerais, por ser feito com leite cru. É por causa de uma lei da Anvisa, de um absurdo sem tamanho, que proíbe que sejam comercializados produtos derivados de leite sem pasteurização. MAS acontece que, quando é pasteurizado, a estrutura química do leite muda e o resultado fica longe do sabor, textura e processo de envelhecimento do queijo de Minas feito de maneira tradicional. É por isso que existem traficantes de queijo em São Paulo (talvez tenha em outros lugares, em SP eu sei com certeza porque já comprei de um, inclusive kkkk).

 

Aliás, o queijo tradicional mineiro só pode circular em Minas pq é patrimônio imaterial, pq se não, nem no estado ele poderia ser vendido! Um absurdo! Imagine se a França proibisse a circulação dos queijos de leite cru deles (basicamente todos, inclusive brie e camembert)! Queijos com essa mesma qualidade e complexidade, produzidos por pequenos fabricantes tradicionais espalhados por Minas Gerais, que estão sendo impedidos de serem reconhecidos pelo mundo.

 

O último vexame foi o que passou Marly Leite, produtora de queijos em Araxá, que foi convidada por um produtor francês a ir a Bra, Itália, numa feira de produtores regionais, fez um tremendo sucesso no primeiro dia e depois foi obrigada pelo governo federal brasileiro a sair do festival porque não tinha licença para importação do queijo. Leia o relato completo de quem esteve lá. Absurdo sem tamanho.

 

Para mais sobre essa questão (e pra conhecer produtores e paisagens mineiras), recomendo o documentário O Mineiro e o Queijo, de Helvécio Hatton

 

 

Bom, tendo falado isso, se você estiver em Minas e for passar por BH, não deixe de ir ao Mercado Central de Belo Horizonte para trazer seu estoque 🙂 . Na falta do queijo realmente mineiro, use uma mistura de queijo de minas esse que dá pra comprar no supermercado fora de minas e queijo parmesão – mas nunca vai ficar igual ao pão de queijo com o queijo real oficial, sorry people.

 

 

 

Tá, chega de preâmbulos, aqui vai a receita tradicional de pão de queijo da família Brandão, de Brumadinho:

 

1 e ½ copo americano de leite
1 e ½ copo americano de óleo de soja
1 e ½ copo americano de água
2 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de creme de leite
1 pitada de sal (mais ou menos, depende se seu queijo é mais ou menos salgado)
>> ferver os líquidos + manteiga e creme de leite
1kg de polvilho doce
>> despejar os líquidos quentes sobre o polvilho, misturar bem com uma colher de pau e deixar esfriar. Esse processo se chama ESCALDAR O POLVILHO e é muito importante pra ter um pão de queijo macio e aerado!!
+- 8 ovos
>> vai adicionando os ovos até a consistência ficar como no vídeo… É uma medida difícil, mas vai nos 8 ovos que a chance de dar certo é maior, kkkkkk. É nessa parte que é preciso sovar bem a massa. Chame alguém com muque forte pra ajudar.
1 prato fundo de queijo de minas (canastra, do serro, etc) meia cura ralado no ralo de lágrimas (sim, gente, em Minas a gente tem essa medida “prato fundo”, hahahaha Dá mais ou menos ½ roda de queijo)

>> Inclua o queijo ralado com cuidado à massa, sem sovar para não quebrar os pedacinhos do queijo, que ficam especiais quando o pão de queijo assa 😉

 

Agora é só enrolar em bolinhas (use óleo de soja pra untar as mãos) e assar em forno médio pré-aquecido!

 

Aqui vai o vídeo do workshop, quando aprendemos a receita com a Telma Brandão na Casa da Horta https://www.facebook.com/casadahorta53/

 

 

Esta última viagem que fiz a Brumadinho foi organizada pela De Rolê Por Brumadinho, agência de receptivo turístico que pode ser contratada para fazer alguns passeios durante a estadia na cidade. Com elas, além de visitar o museu Inhotim, nós conhecemos o famoso e delicioso restaurante Ponto Gê, da chef Genilda Delabrida, fizemos workshop de pão de queijo, visitamos a Cachoeira Carrapatos, em Piedade do Paraopeba e passamos um dia inesquecível nos quilombos Marinhos e Sapé.

 

Confira os posts desses passeios e já programe sua viagem pra Brumadinho!

Onde ficar em Brumadinho

Existem diversas opções de hospedagem em Brumadinho, estes foram os hostels que acolheram nosso grupo durante a viagem:
Hostel 70 – primeiro hostel de Brumadinho, fica bem perto da rodoviária (2 quarteirões, dá pra ir à pé!)

Hostel Moreira – hostel numa casa um pouco afastada da rodoviária. O café da manhã é super farto e tipicamente mineiro: muitos bolos, pães de queijo, queijo, geleias…

Sobre a viagem

As empresas e guias parceiras da viagem foram:
De Rolê Por Brumadinho (no instagram @derole_por_brumadinho)
BrumaVip Turismo – transporte de BH até Brumadinho com uma van super bacana
Guia de InhotimJunio César nasceu no bairro onde hoje funciona o museu, trabalha há 10 anos com a Instituição (desde quando era só uma fazenda do Bernardo Paz). Junio é especializado em botânica e arte contemporânea e guia formado pelo SENAC @juniocesarguia
Jantar inesquecível no Ponto Gê <3 @ponto_ge_inhotim
Vivência nos quilombos Marinhos e Sapé @reibatuque
Workshop de pão de queijo na Casa da Horta @casadahorta53
Pub Crawl @pubcrawlbrumadinho: bares @bar.hashtag @kombozabar e @domquixotesnookerpub 
E, claro, a Prefeitura de Brumadinho, que fortaleceu com os transportes dentro da cidade @prefeituradebrumadinho 

Convidados da viagem: este blog <3, Mulheres Viajantes, Na estrada com as Minas, Mariana Viaja, Kari Desbrava, Sou+Carioca, Rodas nos Pés, Foco no Mundo, Canal Errei, Ideias na Mala, Diário de Turista, Hypeness e Azul Magazine. Coincidência ou não, só tinha um homem na viagem toda, hahahaha Vamos todas cair no mundo, mulherada! #minasqueviajam <3

Mais posts sobre a viagem a Inhotim e Brumadinho:

Mariana Viaja – Visita inesquecível e transformadora a uma comunidade quilombola em Brumadinho

Canal Errei – O melhor de Inhotim e Pub Crawl em Brumadinho – MG

Canal Errei – Inhotim – descobri o Ponto Gê em Brumadinho – MG

Foco no Mundo – Inhotim: dicas e tudo o que você precisa saber antes de ir

Mulheres Viajantes – Brumadinho, além do Inhotim

Rodas nos Pés – Apresentando BRUMADINHO ALÉM DE INHOTIM: muitas descobertas!

Ideias na Mala – Principais obras de arte de Inhotim – O Inhotim como você nunca viu antes

Hypeness – Além do Inhotim: o que fazer em Brumadinho, cidade-sede do maior museu a céu aberto do Brasil

Kari Desbrava – Brumadinho além de Inhotim: uma viagem pelo interior de Minas Gerais

Kari Desbrava – Inhotim: dicas do que conhecer
Foco no Mundo – O que fazer em Brumadinho além de Inhotim

2 pensamentos sobre “De rolê por Inhotim e Brumadinho: receita de pão de queijo mineiro”

  1. Não sabia disso do queijo não poder ser comercializado fora do estado. Talvez seja mesmo um dos fatores para termos o melhor pão de queijo, não importa para onde eu vá, não acho nenhum mais gostoso dos que os produzidos por aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *