méxico

Road trip para o Santuário das Borboletas Monarca, Michoacán, México

A apenas algumas horas de carro da Cidade do México está a Reserva Ecológica Santuário das Borboletas Monarca, onde centenas de milhões de borboletas nascidas no Canadá e norte dos EUA se concentram todos os anos, de novembro a março.

É uma migração impressionante, de mais de 7 mil quilômetros (a segunda mais longa migração de insetos, perdendo pra uns gafanhotos na África). As borboletas monarca chegam ao México bem na época do Dia dos Mortos, por isso elas também são um símbolo importante para a festa que celebra a volta dos espíritos já falecidos por alguns dias para celebrar com seus parentes e amigos queridos. Acreditava-se que as borboletas levavam as almas do submundo para o nosso mundo para festejar.

Estive no México de outubro a abril de 2014 e 2015, vivendo a maior parte do tempo na Cidade do México. Por isso, não poderia deixar passar a oportunidade de ir visitar as borboletas turistas canadenses em seu resort de férias! Veja como foi essa viagem inesquecível!

Panaderia Rosetta, a melhor padaria da Cidade do México (e talvez do mundo)

Uma portinha despretenciosa em uma bela e arborizada rua do bairro Roma, na Cidade do México, abriga a melhor padaria da cidade: a Panaderia Rosetta.

Comandada pela chef Elena Reygadas, La Panaderia (como os habitués a conhecem) começou como um braço de seu renomado restaurante Rosetta, que serve comida contemporânea mexicana com fortes influências italianas. Elena Reygadas foi eleita em 2014 como a Melhor Chef Feminina da América Latina pelo prêmio Veuve Clicot – e merece muito mais, porque tudo que ela encosta fica maravilhoso. Os frequentadores do restaurante se ajoelhavam pelos pães servidos na casa e ela resolveu começar a vendê-los na saída do estabelecimento.

Com o sucesso das vendas, ela alugou um espaço só para La Panaderia, que deu tão certo que já abriu mais uma unidade. Leia mais sobre esse templo ao glúten que vai te fazer sair da dieta sí o sí quando for à Cidade do México.

Não vá a Cancún! Evite essa cilada e conheça a verdadeira península de Yucatán

A península de Yucatán, no México, é um pedaço enigmático do planeta Terra. Ela é banhada pelo Caribe de um lado e pelo Golfo do México do outro. A leste, está a chamada Riviera Maia, com longas praias de areia branca e mar calmo, águas cristalinas bastante azuis, lar de vida marinha intensa. A oeste, no Golfo, as águas são menos belas, mas abaixo delas estão grandes bolsões de petróleo, que garantem riqueza à região para além da exploração do turismo.

Entre todas as possibilidades turísticas da região, infelizmente pouca gente vai além das praias paradisíacas e das piscinas naturais de água doce. E olhe lá. Em Cancún, principal destino turístico do México inteiro, a natureza foi depilada, maquiada, embalada e preparada para consumo rápido e indolor nos mega resorts all inclusive, parques aquáticos e excursões massificadas que “protegem” os visitantes das idiossincrasias desse pedaço interessantíssimo do planeta.

Não vá a Cancún. Yucatán é muito mais do que essa região plastificada de paisagens bonitas.

E por enquanto só estamos falando das belezas naturais. Leia mais motivos para ir a Yucatán no post.

E não vá a Cancún.

Depois não diga que eu não avisei.

A arte e a vida de Frida Kahlo e Diego Rivera na Cidade do México: Casa-museu de Frida e Casa-estúdio de Diego

Frida Kahlo e Diego Rivera eram um casal que poderia estrelar um perfeito drama mexicano.

Ele, artista famosíssimo pintando grandes murais comissionados pelo governo mexicano, notório paquerador que pegava geral na Cidade do México, conhece a jovem Frida e fica apaixonadíssimo por ela, porém não consegue ser monogâmico e a faz sofrer. Ela, artista famosa pelos autorretratos que explicitam sua dor emocional e física, bissexual, cheia de problemas de saúde que disfarçava com sorrisos e álcool e perdidamente apaixonada por Diego, capaz de perdoar tudo em nome do amor.

Para entender melhor essa relação complicada entre os dois e conhecer um pouco de sua arte, nada melhor que ir até as casas onde eles viveram, que hoje são museus bem bacanas na Cidade do México. Clique, veja fotos dos dois espaços e saiba mais sobre eles!

12 razões para viajar para Oaxaca

Agora, no Dia dos Mortos ou assim que der um tempinho extra: você tem que ir pra Oaxaca!! A cidade é apenas: incrível.

Oaxaca de Juárez é a capital do estado de Oaxaca, no México. Embora seja uma cidade relativamente grande (3 milhões de habitantes!!), o centro histórico é pequeno, bem preservado e muito fácil e gostoso de percorrer à pé. Sendo turista, você só vai precisar sair desse universo paralelo (rs) pra ir pra povoados perto, ruínas e outras atrações que o ônibus ou uma van vão te levar, rs.

Se puder evitar, não pegue nenhum tour, tente fazer o máximo de passeios independentemente!
Minha experiência com tour contratado não foi boa: muito corrido, levaram a gente pra comer num lugar ruim e não tinha nada em volta como outra opção, a destilaria de mezcal era de má qualidade e a família que estava fazendo a demonstração de tecelagem não sabia explicar nada, parecia que queriam só vender. Melhor ir você mesmo pra cada uma das atrações, com ônibus de linha normal ou com van de turismo (mas sem tour, sem hora pra ir embora, sem “indicação” de onde comer).

Cola nesse post que você vai ler todas as dicas que precisa pra aproveitar tudo que essa cidade tem de melhor!

Rolar para cima